Crônicas

A Conquista de cada aluno
Arnaldo Niskier

 

Na final da década de 80, estando em Brasília a serviço do Conselho Federal de Educação, recebi um telefonema do ministro da Educação, Jorge Bornhausen, para uma visita “naquele mesmo dia” a Manaus, para a inauguração de uma escola com o nome do governador Gilberto Mestrinho. Um convite desses é sempre irrecusável e topei viajar três horas de Brasília a Manaus para ter o imenso prazer de acompanhar o início das operações de uma bonita escola técnica, que havia recebido todo o apoio do MEC. Para a educação amazonense era um formidável presente. Os seus educadores, como pude comprovar, estavam felizes com o evento e com a oportunidade que se abria para centenas de alunos locais.
 
O fenômeno se repetiu agora, com outros personagens e a minha impossibilidade momentânea de viajar ao Estado do Amazonas, apesar do convite. Foi uma bela iniciativa do governador Eduardo Braga, convidando personalidades, como o presidente da Academia Brasileira de Letras, Marcos Vinícios Vilaça, para a inauguração do primeiro Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti), que recebeu o nome de Marcantônio Vilaça 2, como homenagem ao grande incentivador das nossas artes plásticas, precocemente desaparecido, e que é filho de Maria do Carmo e Marcos Vilaça.
 
O Ceti Marcantônio Vilaça é uma das mais modernas escolas do Brasil, desenvolvendo atividades educativas, esportivas e artísticas, tudo com um forte embasamento cibernético. Trabalhará em regime de tempo integral, como é conveniente, abrigando cerca de 1700 alunos, todos amparados por uma adequada e balanceada refeição. Dispõe de teatro (onde se realizará anualmente a Semana Machado de Assis), quadra poliesportiva, parque aquático e biblioteca, que iniciou o seu acervo com a doação de 200 livros por parte da ABL.
 
Palavras de entusiasmo foram ditas, na inauguração, pelo governador do Amazonas: “Não existe escola, nem mesmo particular, que tenha o padrão do Ceti Marcantônio Vilaça 2.” A explicação sobre a escolha do nome foi bastante enfática: “Foi por mérito. Já existe a Escola 1 com o mesmo nome e sempre contou com o apoio do patrono; depois que ele faleceu, os seus pais continuaram a dar ao estabelecimento de ensino modelar todo o tipo de assistência.”
 
Houve muita emoção nas palavras do presidente da ABL: “Esse fato representa a consagração para o meu filho, que sempre foi disciplinado nos estudos. Acredito que aqui também haverá disciplina e compromisso.” De fato, os alunos de educação básica (fundamental e médio) estão sendo atendidos das 8 às 17 horas, como convém a uma educação de qualidade, e a partir das 19horas são recebidos alunos do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas, com uma particularidade essencial: estabeleceu-se o sistema do mérito para abrigar os discentes, o que representa um extraordinário estímulo, no chamado projeto pedagógico da escola. A gratuidade não é um prêmio, mas uma conquista de cada aluno. Com alunos de boas notas, pode-se garantir a qualidade do ensino profissionalizante oferecido e também, se for o caso, no desdobramento dos estudos, uma eficiente preparação para o nível superior.
  • Twitter - Arnaldo Niskier
  • Facebook - Arnaldo Niskier
  • Orkut - Arnaldo Niskier