Crônicas

Cabala e Deus
Arnaldo Niskier

No nível filosófico, a Cabala, escrita originalmente em aramaico, procura explicar a relação entre Deus e a criação, a existência do bem e do mal, e mostrar o caminho da perfeição espiritual. Movimento de início aristocrático,  tornou-se depois religioso e popular no século XVI, passando a atrair multidões.
 
Em sua versão popular, combinava letras hebraicas em fórmulas mágicas (amuletos) para curar enfermos e com objetivos essencialmente místicos, como a tentativa de apressar o advento do Messias.
 
A palavra Cabala vem da raiz hebraica Kabbel, que significa receber. Compõe-se de diversos livros, sendo o mais expressivo deles o Zohar, obra atribuída ao rabino Simeon Bar Yochai, que viveu no século II. Um estudo exato desses livros exige o domínio do hebraico, considerado um alfabeto sagrado. O ponto de partida de todo o conhecimento vem do alfabeto. As 22 letras que constituem esse alfabeto são também números. Essas letras não são colocadas ao acaso, uma após as outras. Isso significa que estudar esses signos requer o estudo de alta matemática.  
 
 Cada letra hebraica é uma potência que representa três elementos: além da letra (hieroglifo), é também um número (o da ordenação no alfabeto) e uma ideia. As relações de cada uma das 22 letras estão ligadas às forças criadoras do Universo. Essas forças evoluem nos três mundos: físico, astral e psíquico, constituindo-se no ponto de partida de várias teorias. Os antigos rabinos e os cabalistas explicam, segundo esse sistema, a ordem, a harmonia e a influência dos céus sobre o mundo.
 
Os primeiros sinais do misticismo judaico podem ser encontrados a partir do século I, mas com as descobertas dos manuscritos do Mar Morto o conhecimento do assunto deve ser anterior. Sabe-se que Babilônia e Bizâncio dos séculos VI e VII foram importantes centros de vida mística, onde se discutia a existência do Trono da Divina Glória, cujos adeptos sentiam suas almas se elevarem através de mundos e céus. A esses eram revelados os segredos da criação, os caminhos dos anjos e a possível data do advento do Messias.
  • Twitter - Arnaldo Niskier
  • Facebook - Arnaldo Niskier
  • Orkut - Arnaldo Niskier