Crônicas

Direito a educação de qualidade
Arnaldo Niskier

 Foi um enorme sucesso o I Simpósio “Direitos Humanos na Educação que Transforma”, realizado no Teatro Raul Cortez, em Duque de Caxias.  Com mais de 500 professoras inscritas, o objetivo da Secretária Roseli Ramos foi plenamente alcançado: a realização de um amplo debate para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.
 
 Falando na abertura, o  Prefeito José Zito(eleito pela terceira vez para o cargo) foi muito aplaudido quando lembrou as transformações da sua cidade, nos últimos anos, sobretudo no campo da educação, onde as 174 escolas do sistema municipal atendem a aproximadamente 90 mil alunos. Com a chegada de muitas empresas à região, o ensino mereceu uma atenção estratégica  toda especial, sobretudo na preparação dos recursos humanos necessários(técnicos de nível intermediário e profissionais de  3º grau).  Anunciou na ocasião que está em curso a criação de uma Universidade de origem municipal, para atender a 3 mil alunos em diversos cursos, a partir da  engenharia. E recebeu o anteprojeto do Plano Municipal de Educação.
 
 Tive o ensejo de dar a aula inaugural do Simpósio.  Como a platéia era constituída de professores, é claro que o tema abordado foi  mesmo a educação, com a demonstração clara do muito que ainda precisa ser feito, em nível nacional, para que se possa atender à crescente demanda.
 
Se todos defendem o direito à paz, à vida, à liberdade e à  educação, com a sua democrática diversidade, entre nós, aproveitei a oportunidade para enfatizar que a  educação desejada  é a  de qualidade –  e não qualquer uma.  Para que isso ocorra, providências urgentes precisam ser tomadas, como é o caso da formação e aperfeiçoamento  de professores e especialistas.  Com a incorporação das novas tecnologias de Informação e Comunicação, visa-se ao aprimoramento do processo ensino-aprendizagem,  o qual foi muito debatido no Simpósio, ao lado de outra prioridade: a  valorização da leitura e da escrita em todas as classes, com uma inusitada disposição.
 
Foram muito oportunas as  palavras da Secretária Roseli Ramos, que é também professora de língua portuguesa da rede pública municipal.  Na sua opinião, o papel de educar pessoas, ajudando-as a se tornarem cidadãos conscientes, requer um exercício constante de renovação do professor, com a aquisição permanente de novos saberes.  São buscadas práticas inovadoras, com um registro bastante auspicioso:  esse compartilhamento é realizado com muito  entusiasmo   pelos professores, o que permite antever resultados positivos.
 
Outra observação  desse convívio com o magistério fluminense é o interesse  pela   educação artística.  A música tem uma força muito grande, na estimulação dos alunos , e  isso foi  ressaltado pela professora e compositora Bia Bedran, que tem uma notável experiência nos seus muitos anos de Colégio de Aplicação da UERJ.  Sua apresentação foi igualmente um dos pontos altos do Simpósio, que  movimentou o  belíssimo espaço criado em Caxias pela genialidade do arquiteto Oscar Niemeyer.  O que se pôde sentir é que iniciativas assim trazem resultados concretos ao sistema.
  • Twitter - Arnaldo Niskier
  • Facebook - Arnaldo Niskier
  • Orkut - Arnaldo Niskier