Crônicas

Democracia e comunicação
Arnaldo Niskier

A sociedade moderna está enfrentando uma nova realidade comportamental provocada pela evolução da tecnologia e dos meios digitais. Essa realidade é fruto das variáveis decorrentes de novas técnicas que incluem a velocidade de propagação e a quantidade de dados divulgados nos meios digitais, a conduta dos indivíduos em redes sociais, blogs e afins, bem como a facilidade de acesso às notícias e informações de qualidades diversas por meio da internet.    
    
Para discutir os novos rumos da Comunicação, o Centro de Integração Empresa-Escola Nacional, reuniu, em Brasília, renomados profissionais da área. Ruy Altenfelder, Thomas Traumann, João Borges, Dad Squarisi, Carlos Chagas, Demétrio Weber, Silvestre Gorgulho e Arnaldo Niskier participaram do evento.
 
Uma série de avanços tecnológicos da era digital transformou a realidade do mundo contemporâneo. Vivemos num universo em rápida mutação, de contornos impressionantes. Em 2009, havia 27 milhões de internautas no Brasil. Hoje, são cerca de 70 milhões. Há três anos, as redes sociais estavam dando os seus primeiros passos em nosso país, e o saudoso Orkut concentrava a maior parte das atenções. Atualmente, os clubes sociais são um instrumento de relevâncias trocadas todos os dias no Twitter, no Facebook e nas outras redes, cada vez mais voltadas para segmentos e necessidades específicas. 
 
O varejo pela internet cresce quatro vezes mais depressa do que o varejo tradicional e já se vislumbra o dia em que as lojas virtuais concorrerão com os shopping centers em volume de negócios.
 
 Comunicar significa compartilhar e “transmitir”. A diferença entre ambos está no fato de que podemos transmitir sem compartilhar. Trata-se do mesmo sistema da sociedade democrática, ou seja, a tentativa da convivência pacífica, exigindo atenção para alguns fundamentos, por vezes, esquecidos: liberdade, igualdade, solidariedade e alteridade. Sem comunicação de massa, não há democracia de massa.
 
Na sociedade contemporânea, as modernas tecnologias de comunicação e as redes sociais proporcionaram um poderoso ambiente democrático de socialização, de onde podemos retirar informações e recursos, assim como conhecer e explorar novos modos de pensar e de se expressar com liberdade.
 
 A comunicação digital cresce espantosamente. A internet transformou-se na terceira mídia nacional depois da televisão e dos jornais, deixando para trás o rádio e as revistas. Surgem, todos os dias, novas formas de utilização da rede. Outras certamente virão, pois no mundo digital o céu, com suas mais variadas “nuvens”, parece ser o limite.
 
A nova realidade, decorrente da revolução digital, provoca a necessidade de regular o comportamento humano em toda essa dinâmica social. Porém, para sermos coerentes com os novos tempos, a evolução das regras de conduta deve ocorrer dentro dos princípios que garantam nossos direitos fundamentais.
  • Twitter - Arnaldo Niskier
  • Facebook - Arnaldo Niskier
  • Orkut - Arnaldo Niskier