Crônicas

A Cultura da Inovação
Arnaldo Niskier



No tempo da pandemia, valendo-se de um convite da empresa Sambatech, o professor Celso Niskier deu uma riquíssima entrevista sobre as ações transformadoras do ensino remoto. Falando a Mateus Magno, primeiro discorreu sobre a sua carreira, já com 30 anos de percurso na Unicarioca, para demonstrar os avanços assinalados nos 17 cursos da sua instituição, que hoje ocupa o primeiro lugar dentre os centros universitários do Rio de Janeiro.

O tema era “A educação superior e o futuro”, participando da onda de transformação digital. Celso está muito confiante e garante que a educação à distância (EAD) vai superar o ensino tradicional, e para tanto tem realizado importantes trabalhos à frente da Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), com inteligentes parcerias com a Micriosoft e o Instituto Êxito, criado por Janguiê Diniz, que se notabilizou pelo empreendedorismo.

O futuro pode ser classificado de promissor, apesar da intervenção regulatória do MEC, nem sempre feita de modo adequado. Celso garante que, utilizando a tecnologia on-line, os cursos se tornam mais atraentes. Investir em tecnologia não é barato, mas as pequenas empresas têm a chance de realizar boas parcerias. Hoje, 40% da carga horária podem ser em EAD.

O professor certamente passará por uma transformação digital. Não será o único dono do conhecimento, como é hoje. Será um grande facilitador da aprendizagem e o aluno se tornará muito mais participativo. Deveremos ter a capacidade de empoderar o professor, embora ainda não tenhamos democratização do acesso à internet em virtude das dificuldades econômicas dos alunos. Mas devemos nos preparar para um mundo melhor, depois da pandemia. Haverá um grande emprego de robôs nas salas de aula e deveremos nos acostumar com isso.

A educação não voltará a ser o que era. Teremos a educação mediada pela tecnologia, no modelo híbrido que está chegando. Isso não significa que será retirada a autonomia dos mestres, que irão experimentar o chamado mundo novo. Queremos um professor mais inteligente no futuro. Ele deve experimentar essa tecnologia, ferramenta que terá o devido acolhimento. É o futuro que nos aguarda.

  • Twitter - Arnaldo Niskier